CEAIC realiza encontro para a jovem advocacia atuante compartilhar experiências

A presidente da CEAIC, Natálya Assunção, diz “estimular, de tal forma, que a jovem advocacia, cada vez mais, ganhe voz”.
A presidente da CEAIC, Natálya Assunção, diz “estimular, de tal forma, que a jovem advocacia, cada vez mais, ganhe voz”.


A Comissão Estadual da Advocacia em Início de Carreira (CEAIC) promoveu, nesta quinta-feira (3) mais um encontro no Projeto "De Jovem para Jovem", no auditório da Escola Superior de Advocacia (ESA), com a participação de mais de 60 pessoas.  No encontro, houve troca de ideias e a jovem advocacia capixaba ouviu a experiência dos colegas que também estão começando na profissão e já conseguiram se destacar de alguma forma. 

Deste encontro, compartilhando suas experiências sobre como começaram e quais desafios enfrentaram, estiveram: Paola Marcarini, vice-presidente do CAIC em Cariacica; Marco Antônio Nunes Barboza, presidente do CAIC em Vila Velha, e Ana Carolina Rodrigues do Nascimento, vice-presidente do CAIC da Serra.

O objetivo, segundo a presidente da CEAIC, Natálya Assunção, na mesa redonda do dia, foi “estimular, de tal forma, que a jovem advocacia, cada vez mais, ganhe voz”.  E Natálya explicou que, ao compartilhar suas experiências, os jovens “possam ter voz e se tornar cada vez mais atuantes na advocacia capixaba”.

O relato inicial foi dado por Paola Marcarini, a vice-presidente do CAIC de Cariacica. Ela contou que está no mercado há 3 anos, atuando em um escritório particular de uma professora da faculdade e, agora, montou seu próprio escritório. “Tenho uma transição de trabalhar para alguém e, assim, começar a trabalhar por conta própria”, disse ela, compartilhando, também, suas experiências como mulher que atua na área criminal. E disse se dirigindo as mulheres, propôs: “nós temos o nosso lugar para ocupar, nos precisamos ocupá-lo. E na área criminal, nós não podemos julgar, nós somos a voz de quem não tem voz e sendo assim, somos o porta-voz do direito destas pessoas carentes”.

Marco Antônio Nunes Barboza, presidente do CAIC em Vila Velha, relatou as principais dificuldades encontradas no exercício da advocacia, seu plano de carreira e o que ele fez para conquistar novos espaços nas áreas criminal e cível, onde ele atua. “A gente ganha tendo paciência, analisando processos com cuidado e procurando o conhecimento. Isto porque a chave do sucesso na advocacia é conhecimento e networking”, afirmou.

Ana Carolina Rodrigues do Nascimento, vice-presidente do CAIC da Serra, agradeceu o convite e relatou o início de sua carreira, os desafios e os seus momentos de superação na advocacia. Mostrou que, mesmo estando atuando no CAIC, ela teve e tem seus momentos de dúvidas, de insegurança, “mas, ainda assim, é possível acreditar e vencer na carreira”. Ana conclamou a jovem advocacia a participar das ações da OAB como forma de “ganhar conhecimento” e se fortalecer enquanto grupo diante dos desafios diários de um jovem advogado ou advogada.

 

keyboard_arrow_up