Não é não: Comissão da Mulher lança campanha contra assédio no Carnaval

Depois do não, é tudo assédio. É para divulgar essa ideia, e colaborar para um carnaval mais seguro para as mulheres, que a campanha contra o assédio na folia se espalhou pelo país.  A ideia começou no Rio de Janeiro, durante o carnaval do ano passado, quando um coletivo de mulheres passou a distribuir tatuagens temporárias com os dizeres "Não é Não".  Deu tão certo que a campanha se espalhou por São Paulo,  Bahia,  Pernambuco e Minas Gerais. 

A Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Espírito Santo (OAB-ES) apoia essa ideia, e a presidente Flávia Brandão aproveita para esclarecer:  ninguém está condenando a paquera durante a folia. "O que não pode é beijar à força, puxar pelo cabelo, usar palavras desrespeitosas", lembra.

Campanha ganhou o país com tatuagens temporárias

Flávia Brandão ressalta que no Carnaval as mulheres naturalmente usam roupas mais curtas, e esse é um direito delas. "A mulher pode estar vestida do jeito que quiser, isso não dá ao homem o direito de assediá-la".  E recomenda:  quem for vítima de violência deve procurar a polícia.

#aconteceunocarnaval

No Recife, um grupo de mulheres criou a campanha #aconteceunocarnaval, para que as mulheres que sofrerem assédio possam contar as suas histórias. "É importante compartilhar a sua experiência, para que ela sirva  de alerta e não aconteça com outras mulheres", reforça a presidente da Comissão da Mulher Advogada.

Então, que tal divulgar essa ideia e colaborar para que a diversão seja a única lembrança do Carnaval? Repasse a campanha aos seu amigos e parentes, e ajude a acabar com o assédio!
keyboard_arrow_up