Advocacia terá Cadastro de Correspondentes no Estado

A advocacia do Estado deverá ganhar em breve o seu Cadastro de Correspondentes. A idéia é que os advogados e advogadas que se interessarem em atuar como correspondentes se cadastrem,  facilitando o contato com os colegas.

Hoje, esse trabalho - de solicitar a um colega de outro município ou Estado a realização de uma diligência, mediante pagamento de honorários - já é feito informalmente, como explica a advogada Flaviany Trancoso Motté, idealizadora do cadastro. A proposta é organizar e melhorar o acesso. O advogado Fernando Mendes Diniz está ajudando a viablizar tecnologicamente a proposta, para que o  link para acessar o cadastro seja disponibilizado na página da OAB-ES na internet. 

"O Cadastro de Correspondentes evita que o advogado tenha que se deslocar a outro município, e, como o serviço é pago, os dois profisisonais saem ganhando", observa Flaviany. Ela defende que, no futuro, seja estabelecida inclusive uma tabela de valores de honorários específica para os correspondentes, com base na distância percorrida, por exemplo.

A proposta surgiu das discussões nos grupos Utilidades Jurídicas, criados pela Comissão Estadual da Advocacia em Início de Carreira da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Espírito Santo (OAB-ES). Como informa a presidente da CEAIC, Natálya Assunção, os grupos Utilidades Jurídicas - cuja proposta é fomentar a discussão jurídica e o mútuo auxílio - contam hoje com seis grupos estaduais e mais de 15 ligados às CAICs, com mais de 200 participantes em cada um.

"A ideia é que tenhamos colegas advogados e advogadas de todo Estado cadastrados por local de atuação, além da observância da Tabela de Honorários e Diligências", explica.
keyboard_arrow_up