Acolhida e Escuta

Em menos de um ano, a Ouvidoria da Mulher Advogada da OAB-ES registrou mais de 100 atendimentos às vítimas de violência




Em menos de um ano de sua implantação, a Ouvidoria da Mulher Advogada da OAB-ES já registrou mais de 100 atendimentos às vítimas de violência na Grande Vitória e no interior do Estado. O espaço de escuta e acolhida foi criado para tratar quaisquer tipos de violência contra advogadas, esposas e companheiras de advogados.

A Ouvidoria da Mulher Advogada da OAB-ES tem trabalhado para ajudar vítimas de violência, seja do tipo doméstica, familiar, de gênero, no trabalho, no judiciário, e contempla a Seccional e as 19 Subseções da Ordem.

A vice-presidente da OAB-ES e idealizadora da Ouvidoria, Anabela Galvão, comentou sobre a demanda de atendimentos. “Ficamos impressionados com o alto número de atendimento de violência contra as advogadas e esposas de advogados. Observamos também que, com a pandemia, a procura por ajuda aumentou. Em muitos casos, as mulheres sentem medo e vergonha. É importante que elas saibam que nós estamos do lado delas e todos os atendimentos são feitos de forma sigilosa. A violência contra a mulher não escolhe classe social e, a cada dia, o número de feminicídios tem aumentado. É preciso dar um basta”, afirmou Anabela.

Além dos atendimentos feitos de forma presencial, a Ouvidoria tem ido aos municípios do interior atender às demandas das Subseções da Ordem.

“Sempre que a Ouvidoria da Mulher Advogada for acionada, iremos prestar atendimento às vítimas de violência. A OAB-ES está comprometida em combater qualquer tipo de violência contra as mulheres, não só de advogadas da Grande Vitória, mas, também, as do interior do Estado, que precisam muito do nosso apoio e suporte. Precisamos, também, defender as prerrogativas das mulheres advogadas no exercício de suas funções”, disse, ainda, a vice-presidente da OAB-ES.

Atendimentos e pesquisa

A Ouvidoria da Mulher Advogada conta com atendimentos especializados e humanizados. Além de contar com uma assistente social, o espaço oferece atendimento psicológico.

A psicóloga Andrea Giacomim falou sobre seus atendimentos. “O atendimento é clínico, visando a conscientização e o encontro da mulher com ela mesma, dela conseguir se redescobrir, após uma situação de violência. Se desvencilhar de todos os transtornos e as consequências causadas por essa situação abusiva. As pessoas identificam a violência contra a mulher como física e muitas acabam vivendo uma situação abusiva e psicológica, achando completamente normal. Nosso trabalho é tirá-la desse lugar comum e ajudá-la nas suas questões emocionais, oferecendo esse suporte para seguir em frente, depois desses relacionamentos”, explicou Andrea Giacomim.

A Ouvidoria da Mulher Advogada da OAB-ES está promovendo uma pesquisa entre as mulheres advogadas capixabas durante a pandemia de Covid-19. Para participar da pesquisa e responder o formulário, clique aqui

“A intenção é oferecer atendimento individualizado e pontual por regiões, em especial à vítima de violência, seja ela qual for. Um dos principais objetivos é levantar dados e informações sobre as dificuldades enfrentadas pelas advogadas capixabas, que vão servir de subsídio para o planejamento de ações pontuais que propiciem melhores condições de trabalho. O atendimento é individualizado, confidencial e acolhedor. Preencha o questionário e agende seu atendimento”, diz a assistente social da Ouvidoria, Mirelle Vieira.

Os agendamentos devem ser feitos pelo e-mail ouvidoriadamulheradvogada@oabes.org.br, pelo telefone (27) 3232-5551 e pelo celular (27) 99741-8446.
keyboard_arrow_up