Apoio

Diretoria da OAB-ES vai a Iúna acompanhar investigação de atentado



O secretário-geral adjunto da OAB-ES, Rodrigo Carlos de Souza, esteve em Iúna na tarde desta terça-feira (11/05), para conferir o andamento da investigação do atentado sofrido pela advogada Elzeni da Silva Olveira, além de novamente colocar a Ordem à disposição da doutora para as questões jurídicas do caso. O encontro contou com a participação do presidente da Subseção de Iúna, Christian Henrique Neves. 
Para o secretário-geral, é preciso que as autoridades policiais dêem mais celeridade às investigações, para que os criminosos sejam punidos e o caso não fique marcado pela impunidade. "A OAB-ES está oferecendo suporte jurídico e todo o apoio necessário neste momento delicado enfrentado pela doutora Elzeni", lembrou o secretário.
Entenda o caso
A casa onde a advogada reside foi alvejada por nove tiros, disparados por uma dupla em uma moto na noite do dia 9 de abril (sexta-feira). Os disparos quebraram os vidros da varanda e provocaram um grande susto para a família da advogada.
De acordo com relatos encaminhados ao presidente da Ordem, José Carlos Rizk Filho, existe a suspeita de que o atentado esteja ligado com a prática da advocacia.
No dia 10/04 (sábado), o presidente da OAB-ES, Rizk Filho, enviou Ofício ao governador Renato Casagrande e à Secretaria de Estado de Segurança Pública pedindo apuração rápida e rigorosa sobre o atentado sofrido.
Nas redes sociais, o presidente se manifestou e exigiu investigação e resposta rápida. Rizk também ofereceu o serviço de segurança para a advogada.
"Existe uma grave suspeita de que o fato de ela ter ajuizado uma ação trabalhista possa ter culminado nesse fato extremamente grave. A advocacia não tem medo e não vai se calar. Não existe esse tipo de intimidação. Nós oficiamos o governador e o Secretário de Segurança para que haja uma apuração imediata dos fatos”, declarou.
No Ofício ao governador, Rizk informou os procedimentos adotados pela Ordem. "A Seccional, juntamente com a Comissão de Defesa das Prerrogativas, prontamente destacou um grupo de membros para prestar a devida assistência à advogada agredida, fazendo os registros e solicitações para que haja a firme apuração dos fatos por parte desta Ordem, visando responsabilizar, caso as suspeitas se confirmem, aqueles que ostentam escárnio à legislação e não se inibem em agredir a advocacia no exercício da profissão", destacou.
keyboard_arrow_up