Propostas

Comissão de Direitos Humanos e SESP se reúnem para falar sobre políticas públicas de segurança

  • A reunião abordou temáticas com o objetivo de que a segurança pública caminhe junto à preservação e à proteção dos direitos humanos


No último 13 de maio, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Espírito Santo (OAB-ES), por meio da Comissão de Direitos Humanos (CDH), e sua presidente Manoela Soares e vice-presidente Junia Karla Rutowitsch, realizou uma reunião com o Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Espírito Santo (SESP), Marcio Celante Weolffel. 

No encontro foram abordados os seguintes temas: Abordagem ostensiva realizada pela polícia, sobretudo a militar, em bairros da periferia e, em especial, quanto à população negra; Criação de uma ouvidoria externa independente; Câmeras instaladas nas fardas e viaturas dos policiais; Denúncias quanto aos telefones fixos que são mantidos “fora do gancho” e não atendidos nas delegacias; Possibilidade da SESP indicar membros consultivos para a Comissão de Segurança Pública da OAB-ES; Treinamento dos policiais e inclusão da disciplina de Direitos Humanos na academia; e Participação da OAB-ES na Comissão do concurso proposto pela PCES, para o cargo de delegado.

A presidente da CDH, Manoela Soares, destacou que a reunião foi muito produtiva, vez que exauriu todos os temas propostos com informações, sugestões e deliberações.

Já a vice-presidente da CDH, Junia Karla Rutowitsch afirmou que o diálogo com o Cel. Celante e o Secretário Estadual de Segurança Pública e sua equipe foi o primeiro de muitos e será fundamental para garantir a promoção dos direitos humanos na execução de políticas públicas de segurança.  

Marcio Celante Weolffel se disponibilizou a receber a Comissão bimestralmente,  com as demandas da sociedade civil, trazendo respostas e adequando às ações, sempre no comprometimento que a segurança pública caminhe junto à  preservação e à proteção dos direitos humanos.

Além disso, também reforçou a importância dessas reuniões institucionais para apresentar ideias e sugestões, assim como deliberar demandas, sendo muito produtivo para todas as instituições e, consequentemente, para a sociedade. Destacou que a sua gestão é pautada no diálogo e que as portas da Secretaria de Segurança estão abertas para o diálogo.

keyboard_arrow_up