Alexandre Zamprogno

A importância da capacitação e os novos desafios para a classe advocatícia

 

A Constituição Federal, em seu artigo 133, assevera que “o advogado é indispensável à administração da justiça”.

Esse é um direito do cidadão e tem como objetivo assegurar que quando o mesmo necessitar da defesa técnica de uma violação de direito, ou ameaça de violação do mesmo, não ficará desamparado.

Conhecer direitos é a base da liberdade individual. É responsabilidade do advogado e advogada informar o alcance deles e, o mais importante, como exercê-los.

Com isso, afigura-se a essencialidade da assistência de um advogado para garantir a plena existência do Estado Democrático de Direito.

E, nesse sentido, o Estatuto da OAB fixa prerrogativas que dão à advocacia garantias de extrema necessidade para a sua atuação. Por isso, é muito importante ressaltar que a violação de qualquer uma delas não é uma afronta somente à advocacia, mas um verdadeiro atentado à cidadania e ao Estado Democrático de Direito.

Diante disso, é fundamental que as prerrogativas, a fim de que a advocacia possa cumprir a importante missão que lhe foi fixada na Constituição Federal, estejam atualizadas, tanto sob o enfoque das inovações legislativas, quanto das necessidades que surgem da modernização da sociedade e das relações humanas.

Um cenário que torna essa missão ainda mais desafiadora para a Escola Superior de Advocacia, que é o braço acadêmico do sistema OAB.

A ESA-ES está atenta à necessidade de aperfeiçoamento e fortalecimento da advocacia em todo o Estado do Espírito Santo (Grande Vitória e interior), oferecendo cursos voltados à prática da profissão, visando a potencialização da sua atuação para advogados e advogadas.

E para consolidar esse processo de aprimoramento, é primordial pensar - e formatar - uma moderna grade curricular, com o objetivo de oferecer suporte didático-pedagógico consistente e eficaz. E é isso que a ESA-ES está fazendo.

Além de cursos livres e de curta duração com finalidades bem específicas, recentemente iniciou o programa de pós-graduação, de forma pioneira, criando cursos próprios voltados especialmente para promover o aprimoramento do conhecimento e da atuação profissional do advogado e da advogada, abrindo turmas de capacitação tanto na Grande Vitória, quanto em todas as regiões do Estado.

Pensar na capacitação, hoje, requer um olhar ainda mais inovador, principalmente em decorrência do momento que todos estamos vivendo, esse “novo normal”, que, aparentemente, tende a mudar não somente as relações pessoais, como também as profissionais.

A ESA-ES está consciente desse momento e do quanto ele pode alterar a forma de atuação nos vários aspectos do Direito. Mudarão, certamente, as ferramentas utilizadas, mas o foco será sempre o mesmo, facilitar o acesso do cidadão à justiça. Portanto, mudam-se as ferramentas, inova-se, mas o direito do cidadão à justiça sempre será o foco.

E nesse caminho de novas descobertas, é muito importante a capacitação, principalmente para advogados e advogadas em início de carreira. Com os cursos próprios de pós-graduação da ESA-ES, certificados por instituições de renome no mercado, em várias áreas do Direito e a um custo-benefício excelente, certamente crescem a chances desses profissionais conseguirem se estabelecer no mercado de trabalho.

E o olhar da OAB-ES e da ESA-ES nesta gestão é macro, democratizando o acesso do ensino, levando as mesmas oportunidades para advogados e advogadas dos 78 municípios do Espírito Santo, através da capacitação com renomados especialistas em várias áreas do Direito, dando a todos a mesma possibilidade de escolher um caminho dentro da temática com a qual têm mais afinidade.



Alexandre Zamprogno
Diretor-presidente da Escola Superior de Advocacia (ESA-ES)

 

 

keyboard_arrow_up